VIAGEM | PLANEJAMENTO | CULTURA

Categoria: Sem categoria

Gramado e Canela: passeios imperdíveis na Serra Gaúcha

Gramado e Canela: roteiro de 4 dias na Serra Gaúcha

Você já deve ter ouvido falar da Serra Gaúcha pelo menos uma vez na vida, não é mesmo?!

É onde estão dois dos principais destinos turísticos do nosso Brasilzão! Gramado e Canela. 

Não tem como visitar Gramado e Canela e não ir embora com um gostinho de ‘quero mais’. Essas duas cidades têm tantas atrações que é impossível ver tudo na primeira, segunda e até terceira visita. 

Donas de uma beleza sem igual, a influência europeia na arquitetura dá um arzinho muito especial, fruto das colonizações italiana, alemão e portuguesa, que fundaram as cidades.

Lembra muito as construções alpinas, como, por exemplo, as da cidade de Molveno, em Trentino- Alto Ádige, no norte da Itália.

Quando ir a Gramado e Canela?

A alta temporada é tanto no pico do inverno quanto durante verão, quando ocorre o Natal Luz. Entretanto, dá para visitar Gramado e Canela durante todo o ano, que nunca vai faltar coisas para fazer.

Principais atrações em Gramado e Canela ao longo do ano:

  • Entre janeiro e março – Vindima
  • Março ou abril (dependendo do ano) – Páscoa
  • Entre junho e setembro – Inverno
  • Agosto – Festival de Cinema
  • Entre novembro e janeiro – Natal Luz

O QUE FAZER EM GRAMADO E CANELA?

Passeios gratuitos em Gramado e Canela

Rua torta (Gramado)

Rua Torta

Inspirada na Lombard Street, em São Francisco, Califórnia, a Rua Torta chama atenção pelo seu formato sinuoso. Os canteiros floridos, as árvores e os postes de luz são um charme e tornam a rua um ótimo local para passear e tirar fotos. O desafio é encontrá-la vazia!

Rua coberta (Gramado)

Rua Coberta

O nome já diz muito … É uma das ruas mais famosas de Gramado. Lá você encontra diferentes opções de cafés, lojas e restaurantes. 

O acesso é apenas para pedestres. São 100 metros de passagem com muitas opções para desfrutar da gastronomia local! 

Ao longo do ano, ainda, recebe diferentes intervenções e é palco de diversas atrações, principalmente no Natal Luz, Páscoa e Festivais de Cinema e Gastronomia.

Lago Negro (Gramado)

Calmaria e contemplação o definem.

É um ótimo lugar pra caminhar, correr, fazer piquenique ou só curtir um momento de introspecção. O acesso é livre e gratuito todos os dias o dia inteiro. 

Entre os meses de novembro e março o Lago conta com o colorido das hortênsias, que embelezam ainda mais o local.

Os pedalinhos funcionam das 8:30 às 18:00 e tem duração de 20 min. Os preços podem variar de 20 a 50 reais.

Igreja Matriz São Pedro (Gramado)

A Igreja Matriz São Pedro fica no coração de Gramado. Ela é linda! Toda revestida em pedra e rodeada por canteiros floridos. Ponto de encontro para quem vai passear pelo centro da cidade.

Na praça, logo em frente a Igreja,  tem várias estátuas em homenagem aos 12 apóstolos. Vale a pena sentar nos bancos e apreciar a beleza do local. Os vitrais sacros merecem uma atenção especial.

Fonte do amor eterno (Gramado)

Logo ao lado da Igreja Matriz, localiza-se a Fonte do Amor Eterno, onde os casais prendem seus cadeados e jogam a chave na fonte, selando seu amor para toda a eternidade.

O colorido dos milhares de cadeados deixa ela linda. 

Um cadeado custa em torno de 30 reais nas lojinhas próximas (mesmo valor de 2 chopes na cervejaria que fica logo em frente a fonte, rs).

Praça das etnias (Gramado)

Na Praça das Etnias você vai encontrar três casas que representam os povos que colonizaram Gramado e Canela. Uma com arquitetura italiana, uma alemã e outra portuguesa.

Aqui vai uma super dica: não deixe de passar na Casa do Colono, local onde famílias descendentes dos imigrantes produzem de forma artesanal e vendem produtos da gastronomia local. Se você chegar no horário certo, é possível experimentar cucas e pães recém retirados do forno a lenha, uma delícia.

*Importante* levar dinheiro em espécie. Os valores variam entre 8 e 15 reais a unidade.

Catedral de Pedra (Canela)

Principal destino de Canela, a Igreja Matriz de Nossa Senhora de Lurdes, mais conhecida como Catedral de Pedra, possui 65 metros de altura e 12 sinos, uma imponência e tanto.

Recomendamos visitá-la durante o dia, mas também de noite para curtir o show de luzes.

Agora, também é possível visitar a torre internamente (20 reais) e, dependendo do horário, admirar o pôr do sol com uma vista exclusiva de Canela. Para isso, é preciso subir nada mais, nada menos que 154 degraus. E aí, vai encarar?

Passeios pagos em Gramado e Canela

Mini mundo (Gramado)

Esse parque ao ar livre ganhou meu coração. Não sei se por ser arquiteta e ter noção da dificuldade de fazer uma maquete, mas meus olhos brilharam e minha admiração pela atração cresceu ao longo do passeio.

O Mini Mundo contém réplicas de vários prédios e monumentos de todo canto do mundo, tudo é 24 vezes menor do que a realidade.

Logo na entrada ganhamos um jornal com diversas cenas, todas numeradas, as quais podemos encontrar nos cenários do mini mundo durante todo o percurso . Uma ótima forma de interação e diversão.

Além disso, tem loja, café, banheiros e um espaço kids.

Eu descobri logo depois da viagem que o Mini Mundo é georreferenciado, rs. É só baixar o app que dá para passear pela cidade em miniatura como se estivéssemos no google maps e, ainda, ler curiosidades sobre cada construção do local.

Custo: pagamos 52 reais cada ingresso (varia)

visite o site

Skyglass + Abusado (Canela)

Um pouco de aventura e adrenalina não faz mal a ninguém! Essa atração testa limites. Quem tem medo de altura e quer um momento de superação, salva na lista!

O local tem duas atrações: o mirante de vidro e o Abusado. Nós fomos nas duas.

O mirante é uma passarela em formato de U com piso de vidro em quase toda sua extensão. Confesso que andar em cima do vidro a mais de 350 metros do solo dá um friozinho na barriga, mas temos que acreditar na engenharia e encarar.

Em baixo do mirante passa o Abusado, que nada mais é que um monotrilho com cadeiras suspensas que faz o mesmo percurso que comentei acima.

Abusado - Canela
Abusado

Ficamos com os pezinhos soltos a mais de 350 metros do solo com vista panorâmica do Vale da Ferradura.  A volta leva em torno de 2 minutos e meio (tempo que pode parecer maior para uns que para outros, rs).

A contemplação e experiência são únicas. Aventura garantida. 

Por fim, depois da adrenalina, tem uma praça de alimentação com diferentes opções de comidas e bebidas para relaxar. 

Observação: não é permitido levar nenhum objeto como câmeras, celulares, etc.
Tem armário gratuito para guardar os pertences e venda de fotos no final do passeio, para os interessados.

visite o site

Vindima (Canela)

A Vindima nada mais é que um período de colheita e celebração.

Acontece de janeiro a março e consiste, basicamente, na colheita e pisa das uvas, além do tour e degustação de vinhos e taboa de frios.

Nós celebramos a Vindima na Vitivinícola Jolimont e vamos contar tudo sobre ela em um post exclusivo. Aguarde!

Custo: 430 reais (2 pessoas)

Cristais de Gramado (Gramado)

Verdadeira imersão no mundo dos cristais. Um passeio guiado que conta um pouco da história da família proprietária do local e da produção dos cristais. Passamos pela área onde as peças são produzidas e tivemos uma aula sobre todo o processo. É bem legal! 

Terminamos o breve tour em uma sala onde acontece a venda dos produtos e, de hora em hora, no final do percurso, tem uma apresentação de música com os copos de cristal. 

É lindo de ver e ouvir! 

visite o site

Castelinho Caracol (Canela)

Castelinho Caracol - Gramado e Canela
Castelinho Caracol

Um dos meus passeios preferidos! É a casa da primeira família que chegou na região. Ainda tem os móveis e peças antigas originais em alguns cômodos. Antes de se mudarem pro castelinho, a família morou em outra casa, mais simples, logo ao lado, que hoje é uma lojinha. 

O Castelinho Caracol possui um café famoso por seu apfelstrudel, receita da família a 5 gerações. 

Curiosidade: ele foi todo construído com sistema de encaixe, ou seja, não foram utilizados pregos ou parafusos em sua construção.

Na área externa tem outras edificações que fazem parte da propriedade, além de um lago e um riozinho que corta o terreno. É um passeio muito gostoso de fazer. 

Vale a pena conhecer.

visite o site

Mátria Parque das Flores (São Francisco de Paula)

O Mátria Parque não fica em Gramado nem em Canela, porém ele precisa estar na sua lista de lugares para conhecer na Serra Gaúcha.

O parque fica a mais ou menos a meia hora das duas cidades, na RS-235.

São 30 jardins maravilhosos, paradas interativas, espaços de contemplação e permanência, sem falar da gastronomia e da arquitetura.

Não estava no nosso roteiro, mas foi um dos nossos passeios preferidos.

Levamos em torno de 3 horas para completar o percurso, com direito a parada para um chope no caminho.

Foi tão legal que, assim como a vindima, vou fazer um post só para ele com todos os detalhes!

Custo: 119 reais

visite o site

O que comer em Gramado e Canela

Não menos importante, a gastronomia de Gramado e Canela também dá seu show.

Desde fondue, café colonial e pizzarias temáticas (os mais famosos e comentados), sobram opções de restaurantes para todo tipo de gosto.

Nós fomos e recomendamos o Duo Cozinha Contemporânea. São diversas opções de pratos que fazem qualquer um salivar. Nós escolhemos o costelão, prato que serve de duas a três pessoas, dependendo do tamanho da fome.

Além disso, temos de elogiar a qualidade do atendimento e a decoração do ambiente, que é super aconchegante e cheio de estilo.

Abaixo, deixamos outras sugestões de pizzarias temáticas e lugares para comer fondue e cafés coloniais:

Fondue

  • Chateau de la Fondue – site
  • Maison de la Fondue – site
  • Le Chalet de la Fondue – site
  • St. Gallen Fondue e Restaurant – site

Dica: alguns restaurantes tem desconto se pagar em espécie.

Café Colonial em Gramado e Canela

Pizzarias temáticas

Outros

  • Alice e o Chapeleiro – site
  • Ferreo Restaurante (Canela) – site
  • Gatzz – site

Dicas para economizar em Gramado e Canela

Gramado e Canela são destinos super turísticos. Apesar de serem conhecidos por seus altos preços, as duas cidades têm atrações para todo tipo de turista e de bolso.

É possível sim economizar na sua viagem, e muito.

Uma das melhores formas é comprar ingressos pelo site Laçador de Ofertas (instagram: @lacadordeofertas ), tanto de atrações como de restaurantes.

Outro site com descontos é o Tche Ofertas.

Escolher um feriado ou tirar férias fora da temporada também pode ser uma estratégia eficiente, pois os preços em geral costumam ser mais baixos.

Por fim, como citei acima, tem diversos passeios gratuitos e incríveis para incluir no seu roteiro.

Uma dica pessoal: nós costumamos comer um café da manhã bem reforçado e pular o almoço. Assim também economizamos uma refeição (além de calorias para poder abusar na janta, rs).

EXTRA: onde comprar vinho, chocolate, azeite de oliva e cachaça em Gramado e Canela

Como esperado, não voltamos para casa de mãos vazias! Compramos vinhos, chocolates, azeite de oliva e cachaça.

Se você pensa em fazer o mesmo, segue nossa lista de recomendação de lugares:

Vinho: Adega Cavicchioni

Chocolate: Prawer, Lugano, Florybal e Caracol

Azeite de oliva: Empório do Azeite

Cachaça: Alambique Flor do Vale

Esses foram os passeios que nós fizemos nos nossos 4 dias em Gramado e Canela. Chegamos em casa com uma listinha pronta de lugares que faltaram conhecer para a próxima viagem!

Se você tiver alguma dica e sugestão, fique a vontade para comentar, adoramos trocar experiências!!


Zona Sul Rio de Janeiro – O que fazer, onde ir e onde comer

Destino amado por muitos, com localização estratégica e diversas opções de deslocamento, a zona Sul do Rio de Janeiro é o destino perfeito para quem gosta de aliar paisagens naturais incríveis sem perder mão do conforto e das muitas opções de lazer. 

Esse é o tipo de destino que quanto mais se conhece mais a gente tem vontade de voltar e desbravar mais, difícil mesmo é não se apaixonar com essa energia! 

Se você está montando um roteiro para a cidade maravilhosa (para um final de semana ou vida inteira, rs), não deixe de conferir nossas dicas abaixo para planejar sua próxima aventura em terras cariocas.

Onde se hospedar na zona Sul do Rio

Saber onde ficar é fundamental para ter a melhor experiência possível de um destino turístico e sem dúvidas a zona sul é o melhor lugar para se hospedar no Rio de Janeiro. 

Aliando segurança, estrutura e fácil acesso aos principais pontos de visita no Rio, a zona sul costuma atender tanto viajantes experientes quanto pessoas que estão conhecendo a cidade pela primeira vez. 

Nossa recomendação é buscar hospedagem nos bairros Leblon (o mais seguro, o posto 12 é nossa praia favorita na zona sul e a mais segura), Ipanema (bairro mais good vibes, recheado de bares e lojinhas bacanas é o favorito da turma jovem) e Copacabana (um clássico, né?). 

Caso esteja sozinho e queira conhecer gente, sugerimos os hostels Ipanema Beach Hostel (Paul Redfern, 37, Ipanema) e El Misti (R. Joana Angélica, 47, Ipanema), ambos com excelente estrutura e galera animada o ano todo.

Onde comer

Opções para comer na zona sul do Rio de Janeiro não faltam e uma simples saída para um lanche pode se tornar uma experiência maravilhosa de novos sabores.

Café da manhã

Talho Capixaba – localizado no coração do Leblon, um dos lugares queridinhos dos cariocas para tomar um bem servido café da manhã ou apenas tomar um cafezinho e jogar conversa fora.

Café da manhã Talho Capixaba

Pain Perdu – Padaria de alma francesa e charme carioca, os diferenciais da casa são os produtos artesanais, não deixe de experimentar o tradicional croissant da casa.

Brunch

Plage Café – Dentro de uma das atrações mais populares do Rio (o parque Lage), o Café Plage conta com um menu variado perfeito para um cafezinho junto com um passeio cultural, recomendamos o pedir o Plage completo que serve muuuito bem duas pessoas.

Brunch Plage

Confeitaria Colombo – A Confeitaria Colombo, do centro ou do Forte de Copacabana, é um clássico absoluto que vale qualquer fila. Quem gosta de tomar um brunch farto com uma vista deslumbrante da mar recomendamos a Colombo do forte (além de conhecer um dos pontos turísticos cariocas é possível ter uma vista de toda a orla de Copacabana). 

Já para quem curte arquitetura e decorações, vale conhecer a unidade do centro que conta com um ambiente clássico que é patrimônio cultural carioca.

Restaurantes da Zona Sul do Rio de Janeiro

Cantina Boa Praça – Restaurante de cozinha italiana, receitas tradicionais e porções generosas. Rua Jangadeiros, 28 – Ipanema.

Almoço na Cantina da Praça

CT Boucherie –  Restaurante integrante da família do influente chef Claude Troisgros, oferece “rodizio ao contrário”, após escolher o corte de carne de sua preferência a equipe de garçons passa oferecendo acompanhamentos que dificilmente serão encontrados nas versões tradicionais (como chuchu gratinado e polenta com agrião).

Pato com Laranja – Um clássico repaginado, essa é a proposta do Pato com Laranja, localizado no coração de Ipanema, despojado e baladado ao mesmo tempo, opção para o dia inteiro, desde um almoço despojado até uma noite de drinks e sushi com muita música e agito.

 Nola – Restaurante localizado na rua mais badalada do Leblon, o Nola oferece um ambiente agradável e descontraído com um cardápio variado para um jantar a meia luz.

Gurumê – Um dos queridinhos da turma quando se trata de comida japonesa.

Temakeria e cia – Famosa rede paulistana de comida japonesa, a filial aberta em Ipanema tem feito sucesso pelos sabores e preços bem razoáveis.

Barzinhos

Boa Praça – Um dos bares mais baladados da zona sul, não deixe de experimentar a tradicional feijoada de sábado (com direito a roda de samba e agito).

Jobi – Tradicional e carismático porém o mais de conseguir lugar para sentar, o que não chega a ser um problema pois a galera gosta mesmo é de ficar de pé conversando e bebendo um chopp geladinho.

Boteco Belmonte do Leblon – Uma das estrelas da tradicional rua Dias Ferreira é um exemplar do ótimo atendimento no Rio, lugar de muita descontração, copo sempre cheio e sorriso do rosto.

Happy Hour no Boteco Belmonte do Leblon

Boteco Rainha – Ao andar pelo famoso triângulo da Dias Ferreira (eixo Jobi – Belmonte – Boa Praça), nos deparamos com o simpático Boteco Rainha (bombando diga-se de passagem), tanto para um petisco despretensioso com os amigos ou uma refeição completa vale a visita.

Bar da Lage – Vista privilegiada de toda a zona sul, um dos queridinhos dos turistas e gringos. Conta com serviço de “transfer” com kombi (precisa de reserva aos fins de semana) mas também é possível subir de moto táxi por um preço módico.

Mirante Arvrão – Seguindo a linha dos bares com visual de tirar o fôlego, o Mirante do Arvão fica localizado em frente ao Bar da Lage, com a mesma vista deslumbrante o bar e hotel conta com uma vasta programação de shows e eventos para quem quiser estender a noite no Vidigal.

Bosque Bar – Inaugurado no fim de 2020, o Bosque Bar localizado junto ao Jockey Club já é um sucesso. Funciona de quinta a domingo com cardápio variado, música ao vivo e vista para o Cristo Redentor.

Praias

Leblon

No Leblon postos 11 e 12 são considerados os pontos mais seguro da zona sul, muito bem servidos de barraquinhas com serviço de praia e drinks além de muita gente bonita, é nosso ponto favorito na zona sul.

Tarde na Praia do Leblon

Copacabana

Se o seu negócio é esporte, o posto 6 em Copacabana é ótimo para andar de standup com uma vista incrível da orla, caso opte por pegar praia em Copacabana sugerimos ficar próximo aos serviços de praia dos hotéis e sempre estar atento aos seus pertences, região muito visada por ter uma concentração grande de turistas.

Joá

Caso busque um lugarzinho mais local, a Joatinga, localizada no bairro do Joá é pouco conhecida pelos turistas mas adorada por muitos cariocas. A praia está dentro de um condomínio porém o acesso é livre para todos. Só atenção a tabua de marés antes de se aventurar nesse pequeno paraíso carioca, a Joatinga não é acessível em dias de maré alta, pois o mar cobre toda a faixa de areia.

Recreio dos Bandeirantes

Bairro jovem porém em crescimento, o Recreio dos Bandeirantes, zona oeste, é uma excelente opção para banhistas que procuram estar próximos de um ambiente mais natural e tranquilo. 

Com ares de caribe, a praia do Recreio é ótima para famílias com crianças, também conta com diversos quiosques e uma boa infra-estrutura de atendimento além de diversas opções para quem curte praticar esportes, não faltam opções de lazer. 

Praia do secreto

Já a Praia do secreto, na verdade não é uma praia, e sim uma piscina natural linda, uma grata surpresa após a trilha de acesso, apesar de não ser uma trilha de grande dificuldade vale lembrar que a única forma de acessar o Secreto é através de trilha. 

Se estiver com tempo e disposição também vale muito a visita a Praia de Grumari, Macumba e Prainha.

Para ver na Zona Sul do Rio de Janeiro:

Por do sol na pedra do Arpoador

Por do Sol no Arpoador

Acompanhado diariamente por moradores e turistas, o por no sol na pedra do Arpoador é um espetaculo a parte, chega até a ser aplaudido pelo público.

Procure chegar com pelo menos 30 minutos de antecedência antes do por do sol para garantir seu espaço. Se possível evitar finais de semana. Alpem dissom, muito cuidado com celulares e pertences em todos os momentos, a praia do Arpoador costuma ser bastante cheia nesse horário.

Mureta da Urca 

Cerveja gelada, por do sol e vista para o pão de açucar? 

A mureta da Urca oferece tudo isso, ótima opção para o por do sol de domingo ou aquele happy hour com a galera. 

Não deixe pedir seu pastelzinho acompanhado de chopp gelado nos bares da região para serem degustados no muro mais disputado do Rio de Janeiro. 

O bar mais tradicional e clássico da região é o Bar e Restaurante da Urca.

Fim de tarde na Urca

Lagoa Rodrigo de Freitas 

Seja para a corrida ou pedalada matinal seja para curtir um piquenique romântico com vista para o Cristo Redentor. A Lagoa Rodrigo de Freitas tem uma seleção de atrações para todos os gostos e públicos. 

Há parques com brinquedos para as crianças, ciclovia em todo o entorno da Lagoa, pista para skate e patins, além de bares e restaurantes para quem prefere apenas curtir a paisagem. 

Não deixe de visitar a barraca do Luciano, famoso pelo “sashimi de coco” e tomar uma agua de coco geladinha servida pelo próprio Luciano com muita simpatia e alegria. 

No Parque das Figueiras, acontece a Babilônia Feira Hype, uma feira cultural descolada que reune moda, design, artesanato e gastronomia. É uma ótima opção de passeio para o final de semana, consulte a agenda para informação das datas em que a feira irá acontecer.

Mirantes gratuitos 

Boa notícia para quem gosta de vistas espetaculares! É possível admirar toda a beleza carioca em mirantes gratuitos, sem precisar subir o Pão de Açucar ou o Cristo Redentor. 

mirante Dona Marta é meu favorito, uma das vistas mais lindas da cidade, do alto de seus 360m é possível ver o Pão de Açúcar, o Cristo Redentor, a Baía de Guanabara e a Lagoa Rodrigo de Freitas. 

É possível acessar a pé (recomendado contratar guia) ou de carro/taxi/Uber, através do bairro Cosme Velho. 

Outro ponto que merece a visita é o Mirante do Leblon

Encontra-se no fim da praia do Leblon, um deck de madeira sobre as rochas que oferece uma linda vista de toda orla do Leblon, Ipanema, até a pedra do Arpoador. 

Fácil acesso a pé (apenas 5 minutos de caminhada a partir do posto 12), ônibus ou carro e conta ainda com quiosques para quem quiser petiscar e curtir o por do sol.

Molveno – Trentino – Itália | Guia completo | Férias na montanha

Descubra como chegar, o que fazer, e porque você não pode deixar de conhecer  Molveno, na região de Trentino- Alto Ádige, no norte da Itália.

Molveno - Trentino - Itália - Lado di Molveno
Pôr do Sol no Lago di Molveno

Em 2019 ganhei uma bolsa para estudar espanhol em Valladolid, na Espanha. Como já estaria em solo europeu, aproveitei para fazer uma eurotrip.

Um dos meus objetivos era me aventurar no snowboard em alguma montanha Italiana. Defini o destinho (Paganella Ski) e comecei minha busca por estadia no booking.com. Foi então que, sem querer, encontrei Molveno.

Como não é um destino tão famoso, ao menos para nós Brasileiros, resolvi escrever esse post para apresentar esse paraíso na terra e, quem sabe, te inspirar a conhecê-lo. Espero que goste! 😉

Por que conhecer Molveno?

Por dentro da cidade
Por dentro de Molveno

Molveno é, sem dúvidas, o lugar mais lindo que eu conheci até hoje. Com pouco mais de 1.100 habitantes, localiza-se na região pitoresca de Trentino-Alto Ádige, no norte da Itália.

Além de estar aos pés das Dolomitas de Brenta, cadeia montanhosa Patrimônio Mundial da UNESCO, abriga um dos lagos mais bonitos da Itália, o Lago di Molveno

O vilarejo é destino certo para quem gosta de atividades ao ar livre, sossego e boa gastronomia! 

Apesar de pequeno, Molveno tem uma infraestrutura incrível e oferece excelentes opções de turismo e lazer, assim como paisagens de tirar o fôlego. Confira!

Como chegar em Molveno – Trentino

Os aeroportos mais próximos de Molveno ficam em Verona (130km), Milão (260km) e Veneza (253km).

Carro

Dos aeroportos citados acima, você pode alugar um carro para desbravar a região de Trentino-Alto Ádige. 

Se essa for sua escolha, não esqueça de fazer a *PID (Permissão Internacional para Dirigir). Além disso, se viajar na época de frio, peça o kit de inverno para o carro (pneus especiais para neve e correntes). 

*mais informações sobre a PID

Trem e ônibus

Se você viajar de trem, vá até Mezzocorona ou Trento. Em seguida, pegue um ônibus até Molveno. Os horários e frequência variam de acordo com a época do ano.

Eu andei de ônibus e trem para cima e para baixo e não tive nenhum problema.

Observação: pode ser que em algumas estações menores não tenha funcionários que falem inglês, aconteceu comigo só uma vez, mas foram super atenciosos e pacientes.

Alguns valores de referência:

Trem Bolzano-Mezzocorona (3 a 7 euros)

Trem Verona-Trento (7 a 16 euros)

Ônibus Trento-Molveno (3 a 5 euros)

Ônibus Mezzocorona-Molveno (2 a 4 euros)

*mais infos de translados

Quando visitar Molveno, na região de Trentino?

Dá para visitar Molveno, em Trentino, durante todo o ano.

Apesar de o verão ser a época mais famosa para o turismo, o outono e a primavera também oferecem cenários e cores únicas. 

Já no inverno, os picos nevados dão um charme todo especial e os esportes de neve entram em cena.  Foi nessa época que estive por lá, parece um sonho!

Molveno - Trentino - Itália
Final de tarde no Lago di Molveno

Enfim…Cada estação tem seu toque especial. O que difere é que umas podem oferecer mais opções de lazer que outras. 

O que fazer em Molveno no Verão:

Lago di Molveno (atividades no lago)

Com seus mais de 3 km² e água cristalina sem igual, o Lago di Molveno proporciona diferentes vistas e vivências para todo tipo de visitante. 

Caminhada no lago

Molveno - Trentino - Italia - Lago di Molveno
Caminhada ao redor do Lago di Molveno (foto tirada no inverno, rs)

Você pode caminhar ou andar de bicicleta ao redor do Lago di Molveno, que separa as Dolomitas de Brenta da montanha vizinha, Paganella. São aproximadamente 12 km, com pontes, placas informativas, bosque histórico e visuais inesquecíveis. 

O tempo do passeio é relativo para cada pessoa, mas, em média, caminhando, leva de 3 a 4 horas.

Nadar e/ou navegar no lago 

Essa atividade é para quem não pode ver a água que já vai entrando e, convenhamos, não é qualquer água, né! O azul turquesa transparente é super convidativo. 

Molveno - Trentino - Itália - Lado di Molveno
Cores e transparência do Lago di Molveno

Se você se encaixa nesse perfil, tome um banho no lago, nade e, ao mesmo tempo, curta a vista das montanhas. No verão a temperatura da água pode variar de 14 a 20⁰C, que tal?! Eu ainda vou voltar no verão para dar um mergulho.

Você ainda pode optar por andar de pedalinho, stand up paddle, canoagem…Tem até um barco elétrico para quem também quer tirar férias das atividades físicas. 

obs: não recomendado no inverno (alugueis de equipamentos não funcionam)

Praia

Molveno - Trentino - Itália - visittrentino
Fonte: visittrentino

Aos que gostam de apreciar a vista da terra firme, tem uma área gigante de gramado na beira do lago, conhecida como praia. Dá pra estender uma canga, pegar sol e, literalmente, relaxar. Tomar um drink e processar as belezas de Trentino-Alto Ádige. 

Quem não merece umas férias assim?

As crianças não ficam de fora dessa!  Tem playground, areia e um espaço kids que, por sinal,  dá vontade de utilizar mesmo não sendo ‘kids’, rs. 

Além disso, tem parque aquático, com área para adultos e para crianças, mini golf, quadras de vôlei, pescaria, e mais.

Molveno Pradel (atividades na montanha)

Molveno - Trentino - Itália - funiviemolveno
Fonte: funiviemolveno

Não deixe de pegar o teleférico até o Pradel Plateau e chegar ainda mais perto das Dolomitas de Brenta, no Parque Natural Adamello-Brenta, a uma altitude de 1350 metros.

Lá em cima tem uma grande área de gramado onde dá pra fazer piquenique, pegar um solzinho e curtir a beleza das montanhas e do Lago di Molveno.

Além disso, conheça o Forest Park, que oferece várias rotas de arvorismo para todas as idades; e a Educational Farm, fazenda que oferece atividades educacionais, degustação de produtos locais, pratos típicos da região, além de outras atividades.  obs: não abrem no inverno

No Pradel Plateau é possível pegar um segundo teleférico e subir até o Refugio La Montanara. É de lá que sai a maioria das trilhas e vias ferratas. 

Molveno - Trentino - Itália - funiviemolveno
Fonte: funiviemolveno

O mais legal é que muitas dessas trilhas são ligadas por refúgios muito bem estruturados, no meio da montanha mesmo. Neles, é possível se deliciar com comida e vinho locais, passar a noite ou só fazer um pit stop

Aos amantes do mountain bike, é um dos melhores lugares da Itália para praticar o esporte. 

Escaladores de plantão, a região conta com mais de 200 vias clássicas e esportivas, além de um setor de boulder e quase 50 km de vias ferratas.

Tem até voo de parapente… imagina a experiência de voar pelas Dolomitas!?

O que fazer em Molveno no inverno:

Ski área Dolomiti Paganella

Cima della Paganella
Paganella Ski

No inverno, a atração principal fica na montanha vizinha, Paganella.

Estação de ski com 50km de pistas. É possível acessá-la por duas cidades: Andalo e Fai Della Paganella, que ficam a 5 e 15 min de carro de Molveno, respectivamente. 

Também é possível ir de Molveno até a estação de transporte público ou transfer (serviço oferecido por alguns hotéis).

ps: a maioria das atividades citadas no verão também funcionam no inverno, mas exigem algumas adequações.

Onde ficar em Molveno – Trentino

Charme Hotel Nevada
Charme Hotel Nevado visto do Lago di Molveno

Existem diversas opções como hotéis, camping e estacionamento para motorhome ou similares. 

Acomodações afiliadas oferecem o Dolomiti Paganella Card, que dá desconto para várias atrações da região e permite usar o transporte público gratuitamente na cidade.

Os estacionamentos são gratuitos das 18pm às 8am. Durante o dia é cobrado por hora (1,8 euros) ou por diária (10 euros). 

Eu fiquei e indico o Charme Hotel Nevada. Fica de frente para o lago, a 300 metros de um ponto de ônibus e tem um ótimo custo x benefício. Recomendo, principalmente, incluir a opção com janta na reserva para provar os sabores locais, a comida é deliciosa.

Opções de turismo na região

  • Trento
  • Bolzano
  • Lago di Garda
  • Verona

Registros do caminho percorrido de Trento até Molveno

Sites de referência/ mais informações:

https://www.molveno.it/en

https://www.visittrentino.info/en

Um dia em Salamanca Espanha – Top 10 lugares para conhecer

Veja neste post informações sobre 10 lugares para conhecer em um bate e volta de um dia em Salamanca, Espanha para você aproveitar ao máximo sua visita na cidade.

São eles:

  • Plaza Mayor
  • Mercado Central de Salamanca
  • Casa das Conchas
  • Universidade de Salamanca
  • Casa Museu de Unamuno
  • Catedrais de Salamanca 
  • Horta de Calixto e Melibea
  • La Torre del Marqués de Villena
  • Casa Lis
  • Ponte Romano

Esse foi o roteiro de uma das viagens que fiz quando ganhei uma bolsa para intercâmbio de espanhol em Valladolid.

Chegamos pela manhã e fizemos um tour guiado completo pelo centro histórico de Salamanca, que, por sinal, é de cair o queixo!

Abaixo conto um pouco sobre cada lugar e, se gostar, caso ainda não tenha planejado sua viagem para a Espanha, você pode colocar Salamanca na sua bucket list.

Salamanca, a cidade dourada

Também conhecida como ‘cidade dourada’, Salamanca tem quase três milênios de existência e guarda muitos tesouros históricos e arquitetônicos.

Não é atoa que ganhou o título de Cidade Património da Humanidade em 1988 e Cidade Europeia da Cultura em 2002.

Plaza Mayor

Plaza Mayor
Plaza Mayor de noite

Com pouco mais de 4.400 metros quadrados,  seu tamanho e beleza chamam atenção. Não tem como visitar Salamanca e não passar pela Plaza Mayor mais bonita da Espanha.

Construída em 1755, é considerada um dos melhores exemplos da arquitetura barroca do século 18.

Sua composição conta com  88 arcos, 57 medalhões esculpidos com as figuras mais importantes da Espanha e 11 acessos (9 portas e 2 passagens) que levam aos principais monumentos da cidade. 

Foi onde começou nosso tour!

Para aquecer, tomamos um pincho no Mesón Cervantes, um bar ‘escondido’ com acesso por uma escada no Pavilhão dos Reis. A decoração do ambiente nos leva de volta a idade média. Eu amei!

Mesón Cervantes
Interior do bar Mesón Cervantes

Mercado central de Salamanca

Essa parada é a mais indicada para quem quer levar para casa alimentos frescos locais e os famosos embutidos da região. 

Fica ao lado da Plaza Mayor, porém recomendo passar antes de ir embora para não carregar peso durante o passeio. 

Mercado central de Salamanca
Vitrine de Jamón

Casa das Conchas

Caminhamos alguns metros e demos de cara com a Casa das Conchas. Como cada cantinho de Salamanca, esse não deixa a desejar!

casa das conchas
Foto: versalamanca

A fachada do edifício tem mais de 300 conchas. Além de ser linda e inusitada, o que eu mais gosto é de uma das lendas por trás disso (existem duas).

A primeira diz que as conchas foram colocadas para honrar a Ordem de Santiago, uma homenagem ao Caminho de Compostela. 

A segunda, minha preferida, diz que é um poema de amor. Cada concha representa o amor de Dom Rodrigo por sua esposa.

A Casa das Conchas é a atual biblioteca pública da cidade.

Universidade de Salamanca

Fundada em 1218, a Universidad de Salamanca é a mais antiga da Espanha. Com seus mais de 800 anos, faz parte do grupo das primeiras universidades europeias, junto com Paris, Oxford e Bolonha.

Optamos por não conhecer o interior do edifício histórico, que tem como atração principal um sapo entre os ornamentos da fachada , isso mesmo que você leu! Reza a lenda que os alunos que o encontram serão aprovados nas provas e terão um bom ano de ensino (só não vale se pedir ajuda, rs).

Universidade de Salamanca
Fachada principal da Universidade de Salamanca

Escolas Menores

Vale a pena, também, passar pelo pátio de escolas menores (fica em frente a fachada principal da universidade). Em uma de suas salas está a obra de Francisco Gallego “El Cielo de Salamanca”, que representa temas astronômicos e astrológicos. É linda!! Foi uma das minhas atrações preferidas.

Infelizmente, não é permitido tirar fotos.

Casa Museu de Unamuno

A Casa Museu de Unamuno foi inaugurada em 1953 com a finalidade de conservar o testemunho da vida e obras de Miguel de Unamuno y Jugo, escritor, pensador e poeta espanhol.

O edifício, pertencente à Universidade de Salamanca, foi onde Unamuno viveu com sua família durante seus anos como reitor (1900 a 1914).

Hoje a casa museu é um importante local para pesquisar sobre a vida e obras do escritor que doou em vida todos seus livros para a universidade.

Além disso, os ambientes da casa, mobiliários, objetos, quadros e fotografias foram conservados no local desde sua morte. Uma verdadeira viagem no tempo!

Catedrais de Salamanca 

Universidade de Salamanca
Fachada da Catedral Nova de Salamanca

Imponência. Se você me pedir para definir as Catedrais de Salamanca em uma palavra seria essa. Catedrais, no plural mesmo. Salamanca é uma das únicas cidades da Espanha em que a Catedral Velha e a Nova estão erguidas lado a lado como se fossem uma.

A Catedral Velha, de estilo românico, começou a ser construída em 1509.

Com o aumento significativo da população de Salamanca pela fama da Universidade, a Catedral Velha ficou pequena e, em 1513, a Nova começou a ser construída.

A presença fragmentada dos estilos gótico, renascentista e barroco aparecem na nova construção pelo fato de ter levado mais de 200 anos para ser construída. É o maior monumento da cidade.

O que mais me chamou atenção foi a escultura de um astronauta e de um dragão tomando sorvete na fachada do edifício. As contas não batem!! Esse fato gerou muitas especulações e teorias conspiracionais ao longo dos anos.  

Catedrais de Salamanca
Esculturas na fachada da Catedral Nova de Salamanca

A verdade é que em 1922 após passar por um restauro, o arquiteto Jerónimo Garcia de Quiñones nada mais que manteve uma tradição, na qual os restauradores costumam incluir algum elemento moderno a cada novo trabalho de restauração.

Horta de Calixto e Melibea

Jardim de 2.500 metros quadrados todo romântico. Foi cenário de um dos livros do autor Fernando Rojas “La Celestina

Lugar lindo e tranquilo, com uma bela vista da catedral e da cidade. Fiquei imaginando como deve ser na primavera, quando está todo florido.

Horta de Calixto e Melibela
Horta de Calixto e Melibela

La torre del Marqués de Villena

A torre medieval se encontra sobre os restos da antiga muralha da cidade, ao lado da Cova de Salamanca. 

Apesar do nome, ela não pertenceu ao Marquês de Villena, que, segundo lenda, foi o aluno que enganou o diabo e perdeu sua sombra.

Eu não encarei os muitos degraus para chegar ao topo, mas é possível subir na torre e contemplar uma vista diferenciada da cidade. 

Casa Lis

Casa Lis
Foto: museucasalis

Arquiteta que sou, não pude deixar de observar e admirar a singularidade da Casa Lis, edifício sede do Museu Art Nouveau y Art Déco de Salamanca desde 1995.

Ela foi erguida sobre a muralha que protegia a cidade e possui características industrial e modernista. A fachada sul, construída com ferro e vidro, é a que mais chama atenção, impossível passar despercebida.

O museu possui uma exposição permanente e abriga diversas exposições temporárias ao longo do ano. 

Destacam-se a coleção de bonecas de porcelana francesas do século 19 e a coleção de criselefantinas (esculturas características da Art Dèco feitas com metal e marfim).

Ponte Romano

Ponte Romano
Ponte Romana

Exclusiva para pedestres, esse monumento faz parte da história da cidade desde a ocupação romana, formou parte do Caminho da Prata durante muito tempo. Passaram por ela Anibal, o Lazarillo e as tropas francesas. Possui 26 arcos dos quais 15 são originais.

Na entrada, encontra-se a estátua pré-histórica de um touro, uma das esculturas mais conhecidas  da cidade.

Foi onde terminou nosso tour guiado.

Para finalizar nosso dia em Salamanca com chave de ouro e fugir do frio (que olha… no inverno é de rachar!), enquanto esperávamos o trem, paramos no The Molly’s Cross, um pub irlandês super estiloso e aconchegante com cerveja artesanal própria.

De volta a Plaza Mayor, nosso ponto de encontro, curtimos o show de luzes de natal e nos despedimos da Cidade Dourada. 


Intercâmbio de espanhol na Fundación Lengua – Valladolid, Espanha

Neste post você vai encontrar tudo que precisa saber sobre o intercâmbio de espanhol na Fundación de la Lengua Española em Valladolid:

  • como solicitar bolsa de estudos
  • opções de acomodação
  • curso de espanhol
  • custos para 2 semanas de intercâmbio
  • dicas e opiniões

Espero te inspirar e/ou tirar suas dúvidas para embarcar nesta aventura.

Vamos lá!

Tudo começou no início de 2019 quando resolvi aprender espanhol. 

Depois de alguns meses de aula, foi divulgado um intercâmbio facilitado pela escola Planeta Idiomas que, em parceria com a Fundación de la Lengua Española, oferece bolsas de estudo para seus alunos. 

Foram mais de 5 meses de pesquisas, planejamento -principalmente financeiro- e espera, quando, por fim, chegou o grande dia.  Em dezembro de 2019 embarquei para o intercâmbio de espanhol. Duas semanas maravilhosas e intensas na cidade de Valladolid, Espanha.

Bolsa de estudos

Todos os anos a Fundación de la Lengua Española oferece bolsas de estudos para estudantes de espanhol estrangeiros. A bolsa cobre duas semanas de curso do idioma (510 €). Passagens, acomodação, alimentação e matrícula ficam por conta do aluno.

Como solicitar a bolsa

No meu caso, o primeiro contato foi feito entre as duas escolas parceiras e, depois de confirmada a bolsa, realizei o pagamento da matrícula no site da Fundación Lengua para reservar minha vaga. 

A solicitação também pode ser feita diretamente na página de inscrição do site da Fundación Lengua e, basicamente, consiste em escrever um texto explicando porque você merece ganhar as duas semanas de curso. 

Nesse mesmo local, é possível selecionar/simular custos dos serviços de transfer, seguro viagem e acomodação ou contratar apenas o curso e organizar o resto por conta própria.

Acomodação

A Fundación Lengua oferece várias opções de acomodações: casa de família, apartamento, hotel e residência universitária. Os preços variam de 440 a 780 euros (2 semanas).

Eu optei pela residência universitária (490 €) por três motivos: 1.viabilidade financeira; 2. conhecer pessoas novas e 3.não precisar me preocupar com alimentação e limpeza (café, almoço e janta estavam inclusos no valor). 

A resi (como é chamada por lá) é um local com aproximadamente 60 estudantes espanhóis e, quase sempre, alguns intercambistas de outras nacionalidades. Tem uma área comum onde ficam: refeitório, sala de jogos, de TV, biblioteca e estar.  Tem ainda academia, um terraço e lavanderia, além dos quartos, claro.

Qual é a melhor opção de acomodação?

A melhor opção de acomodação varia de acordo com o perfil e prioridade de cada pessoa.

Para mim, a melhor forma de aprender um idioma e perder o medo de falar (muito comum quando fazemos um intercâmbio) é falando. Nesse sentido, a melhor opção é casa de família ou residência universitária, onde há contato direto com outras pessoas residentes do país. Além de ser ótimo para praticar, é uma imersão total no dia a dia e na cultura local. 

Independente da escolha, todas estão localizadas no centro da cidade, o que permite fazer tudo a pé. 

Sobre o curso

No primeiro dia de aula é feito um teste de proficiência e um tour pela cidade, que deixa os olhinhos brilhando de linda que é! Além das aulas (4hrs/dia), a escola oferece vários programas vespertinos (a maioria free) e duas viagens, uma para Salamanca e outra para Segóvia (45 € cada). 

Intercâmbio de espanhol Valladolid
Igreja de Santa María La Antigua

A maioria dos alunos eram Brasileiros, mas também tinham: um americano, uma turca, um italiano e uma tailandesa

O curso vale super a pena! Eu arrisco dizer que tive 100% de aproveitamento.

Participei de todas as atividades e viagens que a escola ofereceu, falei pelos cotovelos, estudei e fiz várias amizades.

Quando voltei, realizei um novo teste de proficiência. Consegui pular um nível (equivalente a um semestre) de espanhol. Não poderia ser melhor, missão cumprida! 

O que também influenciou – e aqui fica uma dica- foi o contato dia e noite com as pessoas da residência e falar, falar e falar, sem medo de errar. Sai um belo de um ‘portunhol’, mas a evolução é muito rápida e perceptível.

Terminei o intercâmbio de espanhol com vários aprendizados, algumas amizades e muitas saudades. 

As viagens que a escola oferece valem a pena??

Sim, apesar do custo, eu optei em ir com a escola e foi incrível em todos os sentidos! Uma visita guiada pelas duas cidades cheia de histórias, paradas estratégicas em restaurantes/bares, conversas e curiosidades (tudo em espanhol, sempre).

Intercâmbio de espanhol Valladolid
Plaza Mayor Salamanca

Por outro lado, muitas pessoas optam por fazer as viagens por conta porque é mais barato, também é super válido!

Um pouquinho de pesquisa já resolve a questão de não ter guia e, convenhamos, desbravar um lugar novo e desconhecido é sempre bom.

Confira o vídeo de uma das viagens:

Custos do intercâmbio de espanhol

A primeira coisa que sempre vem em mente é: “quanto vai custar meu intercâmbio?”, principalmente quando temos que converter para outra moeda, como é o caso. 

Ter uma prévia de quanto vai sair a viagem, ao menos para mim, é muito importante. Por isso, sempre faço um orçamento inicial para me planejar e viajar sem medo de faltar dinheiro. 

Obviamente o custo de viagem é muito pessoal e varia de caso para caso, mas, para ajudar, segue uma tabela de custos que você já pode considerar no orçamento.

Custos fixos a considerar: 
euros
Passagem ida e voltavaria
Transporte de Madrid – Valladolid+-30
Seguro saúde – plano completo (2 semanas)40
Taxa de inscrição100
Residência universitária  (2 semanas)490
Visita guiada Segovia45
Visita guiada Salamanca45
Custos variáveis: 
euros
Café máquina0,50
Almoço/janta20
Tapas*10
Entrada festa5
Copo de bebida em festa5
Chocolate com churros2,5
Cafeteria (café ou chá + lanche) 5

*pequeno aperitivo servido com vinho ou cerveja (típico da culinária espanhola)

Agora é só começar a se planejar e partir para essa aventura!

Enquanto isso, segue indicação de um livro da literatura espanhola para praticar! Um romance de 1878 do escritor espanhol Benito Pérez Galdós: ~Marianela~


Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial